Conheça o processo de Quebra Técnica por meio do sistema AgroGestão

Segundo informações da CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento (2021), a quebra técnica se refere à perda de peso resultante da atividade respiratória dos grãos, a perda de pó e a redução natural do teor de umidade do produto armazenado, ou seja, a quebra técnica pode ser definida como a perca de volume do grão, sendo um processo involuntário e natural.

O processo de geração da quebra técnica no Agrogestão pode ser dimensionado da seguinte forma:

  • Cadastro da vigência;
  • Fórmulas Quebra Técnica;
  • Parâmetros Descontos;
  • Cálculos Cerealistas;
  • Validação de saldos de forma macro.

A vigência nada mais é que o horizonte de tempo a ser utilizado nos cálculos cerealistas, formada por uma data inicial e uma data final pré-estabelecida. Atualmente, o sistema atende as vigências quinzenais e mensais, sendo necessário evoluir para o tipo “diário”, visto que é uma demanda recorrente de clientes situados no Sul de Minas Gerais e regiões do Sul de Goiás. A fórmula Quebra Técnica pode ser definida como um conjunto de passos que, ao ser executados, tem-se um resultado esperado, a quebra técnica em Kg. Os parâmetros descontos é uma tela muito importante para o processo de execução da quebra técnica, através dela é possível dimensionar quem vai usar (cooperante) e quanto (taxa de quebra). Por fim, a tela “Cálculos Cerealistas” é responsável por processar os cálculos de acordo com a vigência selecionada, tendo como resultado a quantidade quebrada.

Outro cálculo realizado em paralelo ao cálculo de quebra técnica, é taxa de armazenagem. Tendo um comportamento semelhante à quebra técnica, a taxa de armazenagem é normalmente cobrada em valor monetário por sacas, de acordo com o período de armazenagem do grão. Dessa forma, ao executar o cálculo da quebra técnica, consegue-se também executar o cálculo da taxa de armazenagem, gerando o financeiro referente à prestação de serviços de armazenagem.

O consultor de implantação Álif salienta, que é de extrema importância validar os cálculos cerealistas executados, com objetivo de simplificar as análises e uso do sistema de gestão. Dessa forma é possível agregar valor nos treinamentos repassados, trazendo confiabilidade e transparência na implantação do sistema para com o cliente.

Fonte: Álif R. F Reis – Consultor de Implantação AGRO1.

O relato foi construído após o treinamento realizado no dia 05 de março de 2021. O treinamento fundamentou-se primeiramente nos conceitos e em seguida pela parte prática, além das orientações quanto aos cálculos cerealistas executados.

Conheça as vantagens do Agrogestão Web

Conheça as vantagens do Agrogestão Web

A gestão à vista pode ser descrita como uma grande aliada aos processos de comunicação e engajamento entre colabores e departamentos de uma organização empresarial. A possibilidade de enxergar dados e informações em tempo real permite a construção de indicadores-chave de desempenho, favorecendo a tomada de decisões de forma segura e assertiva, reduzindo riscos potenciais e retrabalho.

Como fazer gestão à vista trazendo transparência e simplicidade no processo de tomada de decisões de forma ágil?

A resposta é simples! Através do Agrogestão Web!

Traduzindo mais de 26 anos de expertise no agronegócio e o que há de mais recente em tecnologia da informação, a Página Web vinculada ao Agrogestão permite que a organização como um todo acompanhe:

  • Fluxo de informações do Financeiro
  • Compras
  • Pesagens
  • Geoindicadores
  • Sementes
  • Customer Relationship Management (CRM)
  • Máquinas
  • Contratos de Produtos

Isso tudo de forma simples e dinâmica!

Fonte: Álif R. F. Reis – Consultor de Implantação AGRO1.

O relato foi construído após o treinamento realizado no dia 15 de março de 2021, ministrado pelo facilitador Leandro Lineker, consultor de implantação. O treinamento fundamentou-se primeiramente nos conceitos e em seguida pela parte prática, configurações e análises de resultados, além das orientações quanto à estrutura mínima exigida para o funcionamento harmônico da ferramenta.

Agricultura Digital - Agricultura 4.0

Webinar Grupo Agros analisa benefícios da Agricultura Digital

Discutir os benefícios da agricultura digital (4.0), trocando experiências a partir da análise de soluções tecnológicas capazes de melhorar o planejamento, a gestão e a produtividade das áreas rurais, gerando mais eficiência e redução de custos, qualidade da produção e acesso ao mercado foram os temas centrais da Webinar Grupo Agros – 2a edição, realizada nesta quinta-feira, 25.

A atividade, que contou com audiência de todo o País, teve como mediador o coordenador comercial da AGRO1, Daniel Sygel; além dos painelistas: engenheiro agrônomo e consultor da AgroExata, Bruno Milan; engenheiro agrônomo e gestor de Clientes da Agros Assessoria,Tiago Lamb; e o também engenheiro agrônomo e responsável pela Fazenda Paiquere/PR, Alisson Fornari.

Aqila, presença nacional

Coube a Bruno Milan abrir os trabalhos, apresentando as vantagens e diferenciais da plataforma Aqila, que está presente nos principais estados produtores do país. “Trabalhamos com o Aqila desde 2017, o que nos permitiu aumentar a interação, permitindo melhor monitoramento e controle da propriedade na palma da mão e em tempo real.

Entraves ainda precisam ser superados

Em seguida, Tiago Lamb falou a respeito das principais carências para implantação das novas tecnologias no campo, com destaque à ausência de equipes preparadas/capacitadas; falta de estrutura (redes de internet); e a ausência da integração entre plataformas, elementos que devem ser superados em breve, opinou.

Revolucionando a fazenda

Já Alisson Fornari observou que a agricultura 4.0 veio para revolucionar a forma como veremos a fazenda, unindo rapidez na coleta de dados de forma espacializada e precisa; o que, de um lado, deve gerar menos dependência de mão de obra para coleta e, de outro, demandará pessoas especializadas para análise, interpretação e tomada de decisões – o que será feito de forma mais rápida, aumentando a precisão na gestão dos processos de produção.

Mapa NDVI

Durante cerca de meia hora, o trio também respondeu a questionamentos dos participantes, com destaque à perspectiva de expansão das tecnologias baseadas em dados ou imagens geradas por sensores remotos, com satélites e drones, levando em consideração o mapa NDVI.

Inovação garantida

O evento foi encerrado com uma garantia do sócio fundador do Grupo Agros, Gilnei Molossi: “Somos uma empresa de inovação. Por isso, tenham certeza de que honraremos nosso compromisso de entregar a parceiros e clientes as melhores soluções disponíveis no mercado”.

3 principais motivos que levam as fazendas a entrar em stress financeiro

EXPANSÃO

Desequilíbrio entre crescimento e liquidez.

Alguns gestores acabam não planejando suficientemente a demanda de capital de giro para suportar o crescimento desejado.

Isso acaba gerando pressão sobre o caixa da empresa e muitas vezes aumentando o endividamento, que por consequência aumenta as despesas com juros, e reduz os lucros.

Esse ciclo vicioso que se forma pela falta de liquidez pode ser evitado quando se privilegia o processo de decisão racional, planejado e com uso das ferramentas certas.

Portanto, faça um detalhamento de todos os gastos que serão incrementados com o novo empreendimento, revise sua situação de liquidez, trave as pontas na compra dos insumos e simule ao menos 3 cenários distintos para qualificar a decisão!

DRENAGEM PARA OUTROS NEGÓCIOS

Aplicação de recursos da lavoura em outros negócios, sem a definição clara do tempo e das condições de retorno do mesmo.

Este é o caso onde a família ou os sócios possuem um outro negócio alheio à agricultura, na maioria das vezes é uma Revenda de Insumos, uma Cerealista, Sementeira ou um comércio na cidade.

O que os gestores fazem sem se dar conta é misturar o caixa dos negócios e inserir variáveis de risco na agricultura, suportando a demanda de capital de giro do outro negócio com a liquidez da agricultura.

O alerta aqui vai no mesmo sentido do item 1, é preciso tomar cuidado para não afetar a liquidez de modo a se entrar no ciclo vicioso do endividamento.

RETIRADAS PARA A FAMÍLIA

Esse é o grande esforço a ser feito pelos gestores para equilibrar as expectativas da família com as demandas de crescimento e investimento do negócio. A situação aqui é simples, a família tende a crescer mais rápido que os negócios, portanto tenha claramente estabelecido o que a empresa pode e o que ela não pode oferecer à família e siga à risca. Uma empresa que deseja crescer deve reinvestir acima de 70% do seu lucro no próprio negócio.