Mapa NDVI

De quantas maneiras vocês costuma olhar sua lavoura?

Até hoje nenhuma ferramenta substitui uma boa visão humana e o pé constante na lavoura. Porém temos à nossa disposição, inúmeros mecanismos tecnológicos que contribuem na visão global e tomada de algumas decisões.

Um desses mecanismos é o NDVI, que por meio de imagens geradas por satélites ou drones traduz a condição daquela determinada cultura e seu desenvolvimento vegetativo. A partir do NDVI podemos analisar frequentemente o desenvolvimento da lavoura e suas particularidades.

Somando ao conhecimento do histórico daquela área, o NDVI passa a ser uma ferramenta ainda mais valorizada, mas também bem aproveitado até mesmo para um primeiro contato com um talhão. Normalmente uma lavoura apresenta suas desuniformidades. Partes com um NDVI abaixo do normal daquela área pode me alertar para alguma possível intervenção, assim como partes com NDVI acima do normal podem chamar atenção principalmente pelo histórico e manejo daquela área.

Em suma o NDVI, desde que tenha uma boa qualidade de imagem pode me auxiliar principalmente nos pontos de ONDE? QUANDO? QUANTO?

E você, tem contado com essa informação em algumas decisões?

Dicas para o início da safra de inverno

A safra de inverno vem chegando e com ela é importante ter alguns cuidados que vão impactar tanto a cultura subsequente como a próxima safra de verão. Sob esse prisma, o engenheiro agrônomo do Grupo Agros, Gustavo Engel, observa que é fundamental que se aproveite o momento pós-colheita para fazer ajustes e melhorias nas áreas de acordo com o histórico e o que foi observado durante a safra. Em alguns casos, pontua Engel, se faz importante o manejo com herbicida visando o controle de invasoras que possam ter sobrado no meio da cultura aproveitando a flexibilidade de se poder usar herbicidas com diferentes mecanismos de ação, além de encontrar plantas em momento mais suscetível, geralmente rebrotando.

Outra ação visando a melhoria de solo, de acordo com o especialista da assessoria da Agros, é aproveitar o momento para se fazer a análise e amostragem, agindo na correção com calcário, gessagem, entre outros, melhorando os atributos químicos.

Também é indicado utilizar plantas de cobertura ou “de serviço” visando proteger o solo da erosão, diminuir a propagação de invasoras, ciclar nutrientes e promover ganhos na biologia, física e química do solo, através da diversificação de palhada e raízes.

Essas culturas podem entrar tanto na entressafra, tendo como exemplo o trigo mourisco, nabo, milheto, ou ocupando todo o período invernal – com centeio, ervilhaca, mix de plantas. “Vale frisar que se faz necessário estar atento no manejo de invasoras de difícil controle como a buva, e para áreas com problemas latentes, como mofo branco, evitando o uso de espécies suscetíveis ou manejando as mesmas a fim de evitar o aumento do banco de escleródios”, destaca Gustavo.

Já nas áreas em que se terá cultura comercial, é importante ter cuidados com invasoras como o azevém, acertando o momento de controle, e se houver necessidade optar pelo uso de herbicidas pré-emergente como ferramenta de controle. “Também é importante realizar o monitoramento de pragas antes da semeadura, principalmente de lagartas do gênero Spodoptera, e em casos de alta infestação trabalhar com a dessecação antecipada das áreas, ou, se necessário fazer o uso de inseticidas”, finaliza.

Conheça o processo de Quebra Técnica por meio do sistema AgroGestão

Segundo informações da CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento (2021), a quebra técnica se refere à perda de peso resultante da atividade respiratória dos grãos, a perda de pó e a redução natural do teor de umidade do produto armazenado, ou seja, a quebra técnica pode ser definida como a perca de volume do grão, sendo um processo involuntário e natural.

O processo de geração da quebra técnica no Agrogestão pode ser dimensionado da seguinte forma:

  • Cadastro da vigência;
  • Fórmulas Quebra Técnica;
  • Parâmetros Descontos;
  • Cálculos Cerealistas;
  • Validação de saldos de forma macro.

A vigência nada mais é que o horizonte de tempo a ser utilizado nos cálculos cerealistas, formada por uma data inicial e uma data final pré-estabelecida. Atualmente, o sistema atende as vigências quinzenais e mensais, sendo necessário evoluir para o tipo “diário”, visto que é uma demanda recorrente de clientes situados no Sul de Minas Gerais e regiões do Sul de Goiás. A fórmula Quebra Técnica pode ser definida como um conjunto de passos que, ao ser executados, tem-se um resultado esperado, a quebra técnica em Kg. Os parâmetros descontos é uma tela muito importante para o processo de execução da quebra técnica, através dela é possível dimensionar quem vai usar (cooperante) e quanto (taxa de quebra). Por fim, a tela “Cálculos Cerealistas” é responsável por processar os cálculos de acordo com a vigência selecionada, tendo como resultado a quantidade quebrada.

Outro cálculo realizado em paralelo ao cálculo de quebra técnica, é taxa de armazenagem. Tendo um comportamento semelhante à quebra técnica, a taxa de armazenagem é normalmente cobrada em valor monetário por sacas, de acordo com o período de armazenagem do grão. Dessa forma, ao executar o cálculo da quebra técnica, consegue-se também executar o cálculo da taxa de armazenagem, gerando o financeiro referente à prestação de serviços de armazenagem.

O consultor de implantação Álif salienta, que é de extrema importância validar os cálculos cerealistas executados, com objetivo de simplificar as análises e uso do sistema de gestão. Dessa forma é possível agregar valor nos treinamentos repassados, trazendo confiabilidade e transparência na implantação do sistema para com o cliente.

Fonte: Álif R. F Reis – Consultor de Implantação AGRO1.

O relato foi construído após o treinamento realizado no dia 05 de março de 2021. O treinamento fundamentou-se primeiramente nos conceitos e em seguida pela parte prática, além das orientações quanto aos cálculos cerealistas executados.

A importância dos controles e da gestão em propriedades rurais

A importância dos controles e da gestão em propriedades rurais

A utilização do orçamento como ferramenta de tomada de decisão dentro do negócio se torna extremamente importante ao ponto de ter um comparativo entre o orçado e realizado e também para uma previsão de caixa futuro, o que ajuda com que o produtor não tenha surpresas futuras em relação a falta de caixa.

                Outro benefício para o produtor que tem uma dificuldade financeira é que o fluxo de caixa orçado vai contribuir para que ele tenha uma previsão de suas contas e consiga realizar uma programação de pagamento.

                O controle de insumos de terceiros se torna extremamente importante uma vez que é possível verificar a disponibilidade de insumos que o produtor tenha a receber ainda e com isso seja possível planejar a logística de entrega destes produtos, evitando assim a falta de insumos na fazenda.

É importante demonstrar para o usuário que faz os lançamentos no sistema a importância do que está sendo feito e o impacto disso no resultado da fazenda, deste modo o usuário vai entender que o impacto de um simples lançamento no sistema é de extrema importância para a tomada de decisão do gestor do negócio.

                Referente a manutenção de máquinas, é preciso orientar ao operador a responsabilidade que ele tem sobre a máquina que ele está usando e de encaminhar relatórios para que seja possível realizar a análise dos lançamentos e questionar tais informações, proporcionando mais agilidade na resolução dos problemas.

                Entendo que destacar a importância do planejamento a longo prazo para a saúde financeira da fazenda, ou seja, o produtor precisa estar preparado para o que vai acontecer em safras futuras dentro da sua empresa e se precaver para possíveis problemas que aconteçam no decorrer do período.

Fonte: Gean Paulo Rodrigues | Consultor de implantação Agro1

Conheça as vantagens do Agrogestão Web

Conheça as vantagens do Agrogestão Web

A gestão à vista pode ser descrita como uma grande aliada aos processos de comunicação e engajamento entre colabores e departamentos de uma organização empresarial. A possibilidade de enxergar dados e informações em tempo real permite a construção de indicadores-chave de desempenho, favorecendo a tomada de decisões de forma segura e assertiva, reduzindo riscos potenciais e retrabalho.

Como fazer gestão à vista trazendo transparência e simplicidade no processo de tomada de decisões de forma ágil?

A resposta é simples! Através do Agrogestão Web!

Traduzindo mais de 26 anos de expertise no agronegócio e o que há de mais recente em tecnologia da informação, a Página Web vinculada ao Agrogestão permite que a organização como um todo acompanhe:

  • Fluxo de informações do Financeiro
  • Compras
  • Pesagens
  • Geoindicadores
  • Sementes
  • Customer Relationship Management (CRM)
  • Máquinas
  • Contratos de Produtos

Isso tudo de forma simples e dinâmica!

Fonte: Álif R. F. Reis – Consultor de Implantação AGRO1.

O relato foi construído após o treinamento realizado no dia 15 de março de 2021, ministrado pelo facilitador Leandro Lineker, consultor de implantação. O treinamento fundamentou-se primeiramente nos conceitos e em seguida pela parte prática, configurações e análises de resultados, além das orientações quanto à estrutura mínima exigida para o funcionamento harmônico da ferramenta.