A importância dos controles e da gestão em propriedades rurais

A importância dos controles e da gestão em propriedades rurais

A utilização do orçamento como ferramenta de tomada de decisão dentro do negócio se torna extremamente importante ao ponto de ter um comparativo entre o orçado e realizado e também para uma previsão de caixa futuro, o que ajuda com que o produtor não tenha surpresas futuras em relação a falta de caixa.

                Outro benefício para o produtor que tem uma dificuldade financeira é que o fluxo de caixa orçado vai contribuir para que ele tenha uma previsão de suas contas e consiga realizar uma programação de pagamento.

                O controle de insumos de terceiros se torna extremamente importante uma vez que é possível verificar a disponibilidade de insumos que o produtor tenha a receber ainda e com isso seja possível planejar a logística de entrega destes produtos, evitando assim a falta de insumos na fazenda.

É importante demonstrar para o usuário que faz os lançamentos no sistema a importância do que está sendo feito e o impacto disso no resultado da fazenda, deste modo o usuário vai entender que o impacto de um simples lançamento no sistema é de extrema importância para a tomada de decisão do gestor do negócio.

                Referente a manutenção de máquinas, é preciso orientar ao operador a responsabilidade que ele tem sobre a máquina que ele está usando e de encaminhar relatórios para que seja possível realizar a análise dos lançamentos e questionar tais informações, proporcionando mais agilidade na resolução dos problemas.

                Entendo que destacar a importância do planejamento a longo prazo para a saúde financeira da fazenda, ou seja, o produtor precisa estar preparado para o que vai acontecer em safras futuras dentro da sua empresa e se precaver para possíveis problemas que aconteçam no decorrer do período.

Fonte: Gean Paulo Rodrigues | Consultor de implantação Agro1

Conheça as vantagens do Agrogestão Web

Conheça as vantagens do Agrogestão Web

A gestão à vista pode ser descrita como uma grande aliada aos processos de comunicação e engajamento entre colabores e departamentos de uma organização empresarial. A possibilidade de enxergar dados e informações em tempo real permite a construção de indicadores-chave de desempenho, favorecendo a tomada de decisões de forma segura e assertiva, reduzindo riscos potenciais e retrabalho.

Como fazer gestão à vista trazendo transparência e simplicidade no processo de tomada de decisões de forma ágil?

A resposta é simples! Através do Agrogestão Web!

Traduzindo mais de 26 anos de expertise no agronegócio e o que há de mais recente em tecnologia da informação, a Página Web vinculada ao Agrogestão permite que a organização como um todo acompanhe:

  • Fluxo de informações do Financeiro
  • Compras
  • Pesagens
  • Geoindicadores
  • Sementes
  • Customer Relationship Management (CRM)
  • Máquinas
  • Contratos de Produtos

Isso tudo de forma simples e dinâmica!

Fonte: Álif R. F. Reis – Consultor de Implantação AGRO1.

O relato foi construído após o treinamento realizado no dia 15 de março de 2021, ministrado pelo facilitador Leandro Lineker, consultor de implantação. O treinamento fundamentou-se primeiramente nos conceitos e em seguida pela parte prática, configurações e análises de resultados, além das orientações quanto à estrutura mínima exigida para o funcionamento harmônico da ferramenta.

A importância da parametrização dos impostos sobre faturamento

A importância da parametrização dos impostos sobre faturamento

As parametrizações corretas dos impostos tem um papel fundamental nos âmbitos gerenciais e fiscais do negócio.

  • No âmbito gerencial: a correta parametrização dos mesmos traduz o valor real das entradas financeiras, trazendo confiabilidade ao Fluxo de Caixa (previsto e realizado) da organização empresarial.
  • No âmbito fiscal: os impostos traduzem às deduções da receita, consideradas como despesa para o Livro Caixa Digital do Produtor Rural.

Dessa forma tem-se a receita bruta e os impostos retidos como despesas, uma exigência da Receita Federal a contabilização da receita bruta.

Outro ponto importante, fruto da incidência correta dos impostos redutores da receita, é a produção do Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE). Com ele a organização consegue ter um conjunto de informações-chave que traduz vários indicadores financeiros, contábeis e gerenciais do negócio, como: o core-business, a receita bruta, a receita líquida, o lucro líquido e bruto e os resultados. Dessa forma, o valor agregado produzido por um DRE correto consiste na produção de dados e informações úteis ao planejamento orçamentário da organização, sendo esse uma ferramenta essencial para a longevidade do negócio. 

Para que as deduções das receitas estejam corretas, é necessário a configuração de todos os impostos retidos e ou destacados nas operações gerenciais do sistema.

Fonte: Álif R. F. Reis – Consultor de Implantação AGRO1.

O relato foi construído após o treinamento realizado no dia 01 de março de 2021, ministrado pelos facilitadores Leandro Lineker e Leonício R. Junior, consultores de implantação, com o direcionamento do coordenador de implantação, Carlos Alves. O treinamento destacou a importância da parametrização de impostos incididos no faturamento, especificamente nas deduções da receita, salientou-se os vários impostos de diferentes estados da união, reforçando a parte conceitual e prática de cada um dos mesmos.

E-social para Produtor Rural: entenda o evento S-1250 AQUISIÇÃO DE PRODUÇÃO RURAL

A obrigatoriedade do e-Social começou a valer para os integrantes do setor rural, isso porque, as empresas precisaram iniciar a transmissão de informações tributárias para a Receita Federal.

Com isso, é bastante comum que muitas dúvidas apareçam durante a implantação do recurso, pensando nisso, esse post vem para esclarecer algumas dúvidas sobre a ferramenta.

O e-Social é uma ferramenta criada pelo Governo Brasileiro com a finalidade de unificar e padronizar as informações fiscais, previdenciárias e trabalhistas que serão enviadas pelo empregador. Portanto, não se trata da criação de novas obrigações, apenas a unificação das exigências em um único local.

O Governo Federal inseriu os produtores rurais na obrigatoriedade do envio de dados relacionados à sua rotina de trabalho e o seu negócio por meio dessa ferramenta. A exigência do sistema recai sobre os produtores rurais pessoas físicas, produtores rurais pessoas jurídicas, agroindústrias, empresas prestadores de serviços rurais e adquirentes de produção rural.

O software Agrogestão, ferramenta ofertada pela Agro1, detêm da funcionalidade para a emissão do e-Social evento S-1250 que rege a aquisição de produções rurais. Acompanhe e tire suas dúvidas sobre a emissão deste documento.

Conceito e-Social Evento S-1250:

De acordo com o Manual de Orientações do eSocial: “são as informações relativas à aquisição de produção rural de origem animal ou vegetal decorrente de responsabilidade tributária por substituição a que se submete, em decorrência da lei, a pessoa física (o intermediário), a empresa adquirente, consumidora ou consignatária, ou a cooperativa.”

Quem está obrigado:

  1. Pessoas Jurídicas em geral, quando efetuar aquisição de produtos rurais de pessoa física ou de segurado especial, independentemente de as operações terem sido realizadas diretamente com o produtor ou com intermediário pessoa física;
  2. Pessoa Física (intermediário) que adquire produção de produtor rural pessoa física ou de segurado especial para venda no varejo a consumidor final pessoa física, outro produtor rural pessoa física ou segurado especial;
  3. Entidade inscrita no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), quando a mesma efetuar a aquisição de produtos rurais no âmbito do PAA, de produtor rural pessoa física ou pessoa jurídica;
  4. A cooperativa adquirente de produto rural;
  5. A Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), quando adquirir produtos do produtor rural pessoa física ou do produtor rural pessoa jurídica, destinados ao Programa de Aquisição de Alimentos, instituído pelo art. 19 da Lei nº 10.696/2003.

Prazo de envio:

Estes eventos devem ser enviados até o dia 07 do mês seguinte ou antes do envio do evento S – 1299 – Fechamento dos Eventos Periódicos, o que ocorrer primeiro. Antecipa-se o envio destes eventos para o dia útil imediatamente anterior quando não houver expediente bancário.

Esse material foi útil para você? Nos acompanhe nas redes sociais Agro1!

Fonte: Talita Conte – Suporte Agro1

3 principais motivos que levam as fazendas a entrar em stress financeiro

EXPANSÃO

Desequilíbrio entre crescimento e liquidez.

Alguns gestores acabam não planejando suficientemente a demanda de capital de giro para suportar o crescimento desejado.

Isso acaba gerando pressão sobre o caixa da empresa e muitas vezes aumentando o endividamento, que por consequência aumenta as despesas com juros, e reduz os lucros.

Esse ciclo vicioso que se forma pela falta de liquidez pode ser evitado quando se privilegia o processo de decisão racional, planejado e com uso das ferramentas certas.

Portanto, faça um detalhamento de todos os gastos que serão incrementados com o novo empreendimento, revise sua situação de liquidez, trave as pontas na compra dos insumos e simule ao menos 3 cenários distintos para qualificar a decisão!

DRENAGEM PARA OUTROS NEGÓCIOS

Aplicação de recursos da lavoura em outros negócios, sem a definição clara do tempo e das condições de retorno do mesmo.

Este é o caso onde a família ou os sócios possuem um outro negócio alheio à agricultura, na maioria das vezes é uma Revenda de Insumos, uma Cerealista, Sementeira ou um comércio na cidade.

O que os gestores fazem sem se dar conta é misturar o caixa dos negócios e inserir variáveis de risco na agricultura, suportando a demanda de capital de giro do outro negócio com a liquidez da agricultura.

O alerta aqui vai no mesmo sentido do item 1, é preciso tomar cuidado para não afetar a liquidez de modo a se entrar no ciclo vicioso do endividamento.

RETIRADAS PARA A FAMÍLIA

Esse é o grande esforço a ser feito pelos gestores para equilibrar as expectativas da família com as demandas de crescimento e investimento do negócio. A situação aqui é simples, a família tende a crescer mais rápido que os negócios, portanto tenha claramente estabelecido o que a empresa pode e o que ela não pode oferecer à família e siga à risca. Uma empresa que deseja crescer deve reinvestir acima de 70% do seu lucro no próprio negócio.