Agricultura Digital - Agricultura 4.0

Webinar Grupo Agros analisa benefícios da Agricultura Digital

Discutir os benefícios da agricultura digital (4.0), trocando experiências a partir da análise de soluções tecnológicas capazes de melhorar o planejamento, a gestão e a produtividade das áreas rurais, gerando mais eficiência e redução de custos, qualidade da produção e acesso ao mercado foram os temas centrais da Webinar Grupo Agros – 2a edição, realizada nesta quinta-feira, 25.

A atividade, que contou com audiência de todo o País, teve como mediador o coordenador comercial da AGRO1, Daniel Sygel; além dos painelistas: engenheiro agrônomo e consultor da AgroExata, Bruno Milan; engenheiro agrônomo e gestor de Clientes da Agros Assessoria,Tiago Lamb; e o também engenheiro agrônomo e responsável pela Fazenda Paiquere/PR, Alisson Fornari.

Aqila, presença nacional

Coube a Bruno Milan abrir os trabalhos, apresentando as vantagens e diferenciais da plataforma Aqila, que está presente nos principais estados produtores do país. “Trabalhamos com o Aqila desde 2017, o que nos permitiu aumentar a interação, permitindo melhor monitoramento e controle da propriedade na palma da mão e em tempo real.

Entraves ainda precisam ser superados

Em seguida, Tiago Lamb falou a respeito das principais carências para implantação das novas tecnologias no campo, com destaque à ausência de equipes preparadas/capacitadas; falta de estrutura (redes de internet); e a ausência da integração entre plataformas, elementos que devem ser superados em breve, opinou.

Revolucionando a fazenda

Já Alisson Fornari observou que a agricultura 4.0 veio para revolucionar a forma como veremos a fazenda, unindo rapidez na coleta de dados de forma espacializada e precisa; o que, de um lado, deve gerar menos dependência de mão de obra para coleta e, de outro, demandará pessoas especializadas para análise, interpretação e tomada de decisões – o que será feito de forma mais rápida, aumentando a precisão na gestão dos processos de produção.

Mapa NDVI

Durante cerca de meia hora, o trio também respondeu a questionamentos dos participantes, com destaque à perspectiva de expansão das tecnologias baseadas em dados ou imagens geradas por sensores remotos, com satélites e drones, levando em consideração o mapa NDVI.

Inovação garantida

O evento foi encerrado com uma garantia do sócio fundador do Grupo Agros, Gilnei Molossi: “Somos uma empresa de inovação. Por isso, tenham certeza de que honraremos nosso compromisso de entregar a parceiros e clientes as melhores soluções disponíveis no mercado”.

LCDPR | Webinar do Grupo Agros discute importância do planejamento tributário para 2021

A 1ª edição de 2021 da série de Webinars do Grupo Agros, realizada nesta quinta-feira, 28, discutiu a importância da revisão de eventuais inconsistências realizadas no último exercício e os necessários ajustes para construir, de modo planejado, um ano sem complicações tributárias e com bons resultados.

Neste processo, o Livro Caixa Digital do Produtor Rural (LCDPR) ganha relevância e, na condição de obrigação acessória, deve fazer o produtor dedicar um tempo para avaliar/ajustar os procedimentos da atividade.

Conforme a consultora do Grupo Agros, Márcia Barbieri, é determinante dar atenção especial a adequada forma de exploração, entendimento do negócio pela equipe administrativa, correta tradução no movimento financeiro e o alinhamento dos processos de registro.

“Se o fechamento do ano fiscal 2020 não aconteceu como esperado, o início de 2021 é vital para alinhar e organizar essas informações”, resumiu Márcia durante a atividade, que também contou com a presença do sócio-proprietário da Audicope Paracatu, de Minas Gerais, João Batista; e da sócia-proprietária na Unitec Assessoria Contábil Ltda Jataí, de Goiás, Renata Oliveira.

Mais de 150 produtores, contadores e profissionais ligados ao agronegócio participaram das discussões, tirando dúvidas e compartilhando experiências.

Dicas dos especialistas

# O processo das informações tributárias deve ser construído ao longo do ano para permitir as condições necessárias e adequadas de cumprimento das obrigações fiscais.

# O ambiente tributário é complexo e demanda que o produtor rural se organize, revisando as informações que serão entregues ao Fisco. Igualmente, deve se identificar antecipadamente situações que possam estar inconsistentes, permitindo os ajustes necessários.

Saiba mais

# Caso dúvidas e dificuldades persistam, o Grupo Agros conta com equipe especializada na área, que analisa desde a conformidade dos registros da propriedade até a forma de exploração da atividade no núcleo familiar, construindo um planejamento tributário adequado ao modelo de negócio.

# Quem perdeu o 1º Webinar do ano do Grupo Agros pode solicitar acesso ao material pelo e-mail mkt@agro1.inf.br.

Por que é tão importante fazer a aferição da semeadura? – Aferição com o AQILA

Uso de tecnologia na gestão da lavoura facilita operacionalização, detecção de problemas e possibilita ao produtor aumentar a eficiência operacional e produtividade

O Brasil vem ano após ano aumentando seus índices de produtividade no agronegócio, sendo um dos países mais competitivos do mundo no setor. No entanto, ainda há muito que se fazer quando o assunto é gestão e profissionalização da atividade produtiva. E, nesse momento, o que mais exige atenção do produtor é a semeadura das culturas de verão: soja e milho.
Conforme o consultor da AGRO1, Renato Sgarbi, a semeadura é uma das principais fases de implantação da lavoura e requer muitos cuidados. “Se a cultivar não estiver no espaçamento ideal e ficar mal distribuída ela vai competir entre si por água, nutrientes, dificultando a sua proteção natural contra pragas e doenças, não conseguindo atingir o seu potencial produtivo”, explica.
Renato observa que o produtor ao fazer uso de tecnologias que o auxiliem nas diferentes etapas de implantação das culturas, além de caminhar para profissionalização da gestão, vai facilitar a operacionalização da lavoura, e ainda, aumentar índices de produtividade. Nesta perspectiva, ele destaca o Aqila, aplicativo de celular que faz o cálculo do coeficiente de variação e distribuição das sementes, dando diagnóstico imediato e preciso da distribuição de sementes no plantio.

Mais produtividade

Segundo o especialista, com a ferramenta é possível detectar a falta de uniformidade do plantio, verificar se a máquina está realizando a distribuição correta da semente, ou não, para em seguida, se necessário, fazer a regulagem do equipamento e acertar a distribuição da semente para cada tipo de cultivar. “A distribuição bem adequada está diretamente ligada ao incremento de produtividade”, afirma Renato, que também observa: se o coeficiente ainda for alto, se consegue, no mesmo momento do plantio, fazer uma nova aferição e calibragem da máquina, testando a semeadura com diferentes velocidades. “A velocidade está diretamente ligada a distribuição das sementes, quanto maior a velocidade mais irregular é a distribuição”, explica.

Gestão profissional

O consultor ressalta que o aplicativo Aqila permite corrigir o problema quando ainda está acontecendo na fase de plantio, gerando indicadores que irão orientar a decisão rápida do produtor, minimizando qualquer prejuizo relacionado à distribuição de semente, profundidade e velocidade, principais desafios do plantio. “O Aqila é uma ferramenta muito importante para gestão da lavoura, que torna cada vez mais profissional o agronegócio, com mais informações para atuar no momento exato que está acontecendo a operação”, disse.
Para o consultor, a deposição bem-feita da semente e adubo vai contribuir para que a lavoura possa expressar o máximo do seu potencial produtivo.

Produtor

O produtor, Luciano Mendes, do Mato Grosso do Sul utiliza o Aqila na sua propriedade e destaca que o aplicativo é uma ferramenta da agricultura digital extremamente dinâmica e fácil de utilizar. “Que gera um valor muito grande para gente que é da produção, porque se consegue identificar o trabalho que está sendo executado no campo, os levantamentos, de uma forma muito mais ágil e dinâmica, de fácil visualização”, comenta.
Conforme Luciano, nesse momento de semeadura se utiliza o Aqila para monitorar o equipamento, as plantadeiras, e ver o que se está entregando em termos de qualidade de plantio. “A gente se preocupa muito com a questão da plantabilidade, qual é o espaçamento que as plantas estão uma da outra, e o Aqila nos auxilia muito nisso, porque faz a conta do coeficiente de variação dos espaçamentos”, observa.
Luciano acrescenta que isso permite que na hora do plantio se faça a aferição da semeadura, que é medir o quanto aquela máquina está entregando de coeficiente de variação. “Quanto a máquina está dentro do padrão de plantio, e assim é possível que se faça ajustes, ainda dentro do plantio, tendo uma melhor plantabilidade e uma maior produtividade”, afirma.