Antonio Carlos Ortiz fala sobre geração de resultado e uso do caixa em webinar do Grupo Agros

“O caixa é limitado. Precisamos aplicá-lo onde vai gerar mais caixa no futuro.”

A orientação é do Senior Associate da Centrec Consulting Group, Antonio Carlos Ortiz, que participou de Webinar do Grupo Agros realizada na manhã desta quinta-feira, 20. Respondendo a questionamentos e dúvidas de produtores de diversos estados do país, Ortiz foi claro em mostrar que, para que os resultados da safra continuem positivos, é necessário planejar e definir prioridade, sem jamais perder de vista a importância do equilíbrio.

O especialista também chamou a atenção para o fato de que o stress financeiro na agricultura geralmente é relacionado a crescimento forte e, ou, uso de caixa para outro empreendimento, o que, em regra, acaba em prejuízo.

A seguir, reproduzimos alguns dos conceitos trazidos por Antonio Carlos Ortiz na webinar:

📌 Analisando o desempenho do negócio, ‘cash is king’ (dinheiro é rei);

📌 Quando expandimos, ou acumulamos, usamos mais caixa. Acúmulo de estoques, vendas à prazo, expansão e Investimentos drenam o caixa;

📌 Estoques, contas a receber, lavouras (ou ativos biológicos) são contas de giro;

📌 Caixa fica preso em imobilizado também. Máquinas, infraestrutura e terra são contas de imobilizado;

📌 É importante que o produtor calcule o impacto em capital de giro dada sua forma de operar;

📌 Caixa resultado da operação não vem na mesma velocidade que o uso;

📌 Estoques, prazo de venda, inadimplência, campos em formação… Tudo isso turbina o uso do caixa;

📌 Teste se o retorno compensa a alternativa de alocação de caixa. Teste, também, se a liquidez seria negativamente afetada, antes de imobilizar;

📌 Aumento de custos pode afetar os indicadores: planeje olhando para frente;

📌 Para bom uso do caixa: parte deveria ser sempre reservada para as vacas magras e oportunidades; parte vai para o giro; parte se imobiliza.

Conheça o processo de Quebra Técnica por meio do sistema AgroGestão

Segundo informações da CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento (2021), a quebra técnica se refere à perda de peso resultante da atividade respiratória dos grãos, a perda de pó e a redução natural do teor de umidade do produto armazenado, ou seja, a quebra técnica pode ser definida como a perca de volume do grão, sendo um processo involuntário e natural.

O processo de geração da quebra técnica no Agrogestão pode ser dimensionado da seguinte forma:

  • Cadastro da vigência;
  • Fórmulas Quebra Técnica;
  • Parâmetros Descontos;
  • Cálculos Cerealistas;
  • Validação de saldos de forma macro.

A vigência nada mais é que o horizonte de tempo a ser utilizado nos cálculos cerealistas, formada por uma data inicial e uma data final pré-estabelecida. Atualmente, o sistema atende as vigências quinzenais e mensais, sendo necessário evoluir para o tipo “diário”, visto que é uma demanda recorrente de clientes situados no Sul de Minas Gerais e regiões do Sul de Goiás. A fórmula Quebra Técnica pode ser definida como um conjunto de passos que, ao ser executados, tem-se um resultado esperado, a quebra técnica em Kg. Os parâmetros descontos é uma tela muito importante para o processo de execução da quebra técnica, através dela é possível dimensionar quem vai usar (cooperante) e quanto (taxa de quebra). Por fim, a tela “Cálculos Cerealistas” é responsável por processar os cálculos de acordo com a vigência selecionada, tendo como resultado a quantidade quebrada.

Outro cálculo realizado em paralelo ao cálculo de quebra técnica, é taxa de armazenagem. Tendo um comportamento semelhante à quebra técnica, a taxa de armazenagem é normalmente cobrada em valor monetário por sacas, de acordo com o período de armazenagem do grão. Dessa forma, ao executar o cálculo da quebra técnica, consegue-se também executar o cálculo da taxa de armazenagem, gerando o financeiro referente à prestação de serviços de armazenagem.

O consultor de implantação Álif salienta, que é de extrema importância validar os cálculos cerealistas executados, com objetivo de simplificar as análises e uso do sistema de gestão. Dessa forma é possível agregar valor nos treinamentos repassados, trazendo confiabilidade e transparência na implantação do sistema para com o cliente.

Fonte: Álif R. F Reis – Consultor de Implantação AGRO1.

O relato foi construído após o treinamento realizado no dia 05 de março de 2021. O treinamento fundamentou-se primeiramente nos conceitos e em seguida pela parte prática, além das orientações quanto aos cálculos cerealistas executados.

Conheça as vantagens do Agrogestão Web

Conheça as vantagens do Agrogestão Web

A gestão à vista pode ser descrita como uma grande aliada aos processos de comunicação e engajamento entre colabores e departamentos de uma organização empresarial. A possibilidade de enxergar dados e informações em tempo real permite a construção de indicadores-chave de desempenho, favorecendo a tomada de decisões de forma segura e assertiva, reduzindo riscos potenciais e retrabalho.

Como fazer gestão à vista trazendo transparência e simplicidade no processo de tomada de decisões de forma ágil?

A resposta é simples! Através do Agrogestão Web!

Traduzindo mais de 26 anos de expertise no agronegócio e o que há de mais recente em tecnologia da informação, a Página Web vinculada ao Agrogestão permite que a organização como um todo acompanhe:

  • Fluxo de informações do Financeiro
  • Compras
  • Pesagens
  • Geoindicadores
  • Sementes
  • Customer Relationship Management (CRM)
  • Máquinas
  • Contratos de Produtos

Isso tudo de forma simples e dinâmica!

Fonte: Álif R. F. Reis – Consultor de Implantação AGRO1.

O relato foi construído após o treinamento realizado no dia 15 de março de 2021, ministrado pelo facilitador Leandro Lineker, consultor de implantação. O treinamento fundamentou-se primeiramente nos conceitos e em seguida pela parte prática, configurações e análises de resultados, além das orientações quanto à estrutura mínima exigida para o funcionamento harmônico da ferramenta.

Agricultura Digital - Agricultura 4.0

Webinar Grupo Agros analisa benefícios da Agricultura Digital

Discutir os benefícios da agricultura digital (4.0), trocando experiências a partir da análise de soluções tecnológicas capazes de melhorar o planejamento, a gestão e a produtividade das áreas rurais, gerando mais eficiência e redução de custos, qualidade da produção e acesso ao mercado foram os temas centrais da Webinar Grupo Agros – 2a edição, realizada nesta quinta-feira, 25.

A atividade, que contou com audiência de todo o País, teve como mediador o coordenador comercial da AGRO1, Daniel Sygel; além dos painelistas: engenheiro agrônomo e consultor da AgroExata, Bruno Milan; engenheiro agrônomo e gestor de Clientes da Agros Assessoria,Tiago Lamb; e o também engenheiro agrônomo e responsável pela Fazenda Paiquere/PR, Alisson Fornari.

Aqila, presença nacional

Coube a Bruno Milan abrir os trabalhos, apresentando as vantagens e diferenciais da plataforma Aqila, que está presente nos principais estados produtores do país. “Trabalhamos com o Aqila desde 2017, o que nos permitiu aumentar a interação, permitindo melhor monitoramento e controle da propriedade na palma da mão e em tempo real.

Entraves ainda precisam ser superados

Em seguida, Tiago Lamb falou a respeito das principais carências para implantação das novas tecnologias no campo, com destaque à ausência de equipes preparadas/capacitadas; falta de estrutura (redes de internet); e a ausência da integração entre plataformas, elementos que devem ser superados em breve, opinou.

Revolucionando a fazenda

Já Alisson Fornari observou que a agricultura 4.0 veio para revolucionar a forma como veremos a fazenda, unindo rapidez na coleta de dados de forma espacializada e precisa; o que, de um lado, deve gerar menos dependência de mão de obra para coleta e, de outro, demandará pessoas especializadas para análise, interpretação e tomada de decisões – o que será feito de forma mais rápida, aumentando a precisão na gestão dos processos de produção.

Mapa NDVI

Durante cerca de meia hora, o trio também respondeu a questionamentos dos participantes, com destaque à perspectiva de expansão das tecnologias baseadas em dados ou imagens geradas por sensores remotos, com satélites e drones, levando em consideração o mapa NDVI.

Inovação garantida

O evento foi encerrado com uma garantia do sócio fundador do Grupo Agros, Gilnei Molossi: “Somos uma empresa de inovação. Por isso, tenham certeza de que honraremos nosso compromisso de entregar a parceiros e clientes as melhores soluções disponíveis no mercado”.

LCDPR | Webinar do Grupo Agros discute importância do planejamento tributário para 2021

A 1ª edição de 2021 da série de Webinars do Grupo Agros, realizada nesta quinta-feira, 28, discutiu a importância da revisão de eventuais inconsistências realizadas no último exercício e os necessários ajustes para construir, de modo planejado, um ano sem complicações tributárias e com bons resultados.

Neste processo, o Livro Caixa Digital do Produtor Rural (LCDPR) ganha relevância e, na condição de obrigação acessória, deve fazer o produtor dedicar um tempo para avaliar/ajustar os procedimentos da atividade.

Conforme a consultora do Grupo Agros, Márcia Barbieri, é determinante dar atenção especial a adequada forma de exploração, entendimento do negócio pela equipe administrativa, correta tradução no movimento financeiro e o alinhamento dos processos de registro.

“Se o fechamento do ano fiscal 2020 não aconteceu como esperado, o início de 2021 é vital para alinhar e organizar essas informações”, resumiu Márcia durante a atividade, que também contou com a presença do sócio-proprietário da Audicope Paracatu, de Minas Gerais, João Batista; e da sócia-proprietária na Unitec Assessoria Contábil Ltda Jataí, de Goiás, Renata Oliveira.

Mais de 150 produtores, contadores e profissionais ligados ao agronegócio participaram das discussões, tirando dúvidas e compartilhando experiências.

Dicas dos especialistas

# O processo das informações tributárias deve ser construído ao longo do ano para permitir as condições necessárias e adequadas de cumprimento das obrigações fiscais.

# O ambiente tributário é complexo e demanda que o produtor rural se organize, revisando as informações que serão entregues ao Fisco. Igualmente, deve se identificar antecipadamente situações que possam estar inconsistentes, permitindo os ajustes necessários.

Saiba mais

# Caso dúvidas e dificuldades persistam, o Grupo Agros conta com equipe especializada na área, que analisa desde a conformidade dos registros da propriedade até a forma de exploração da atividade no núcleo familiar, construindo um planejamento tributário adequado ao modelo de negócio.

# Quem perdeu o 1º Webinar do ano do Grupo Agros pode solicitar acesso ao material pelo e-mail mkt@agro1.inf.br.