Agricultura Digital - Agricultura 4.0

Webinar Grupo Agros analisa benefícios da Agricultura Digital

Discutir os benefícios da agricultura digital (4.0), trocando experiências a partir da análise de soluções tecnológicas capazes de melhorar o planejamento, a gestão e a produtividade das áreas rurais, gerando mais eficiência e redução de custos, qualidade da produção e acesso ao mercado foram os temas centrais da Webinar Grupo Agros – 2a edição, realizada nesta quinta-feira, 25.

A atividade, que contou com audiência de todo o País, teve como mediador o coordenador comercial da AGRO1, Daniel Sygel; além dos painelistas: engenheiro agrônomo e consultor da AgroExata, Bruno Milan; engenheiro agrônomo e gestor de Clientes da Agros Assessoria,Tiago Lamb; e o também engenheiro agrônomo e responsável pela Fazenda Paiquere/PR, Alisson Fornari.

Aqila, presença nacional

Coube a Bruno Milan abrir os trabalhos, apresentando as vantagens e diferenciais da plataforma Aqila, que está presente nos principais estados produtores do país. “Trabalhamos com o Aqila desde 2017, o que nos permitiu aumentar a interação, permitindo melhor monitoramento e controle da propriedade na palma da mão e em tempo real.

Entraves ainda precisam ser superados

Em seguida, Tiago Lamb falou a respeito das principais carências para implantação das novas tecnologias no campo, com destaque à ausência de equipes preparadas/capacitadas; falta de estrutura (redes de internet); e a ausência da integração entre plataformas, elementos que devem ser superados em breve, opinou.

Revolucionando a fazenda

Já Alisson Fornari observou que a agricultura 4.0 veio para revolucionar a forma como veremos a fazenda, unindo rapidez na coleta de dados de forma espacializada e precisa; o que, de um lado, deve gerar menos dependência de mão de obra para coleta e, de outro, demandará pessoas especializadas para análise, interpretação e tomada de decisões – o que será feito de forma mais rápida, aumentando a precisão na gestão dos processos de produção.

Mapa NDVI

Durante cerca de meia hora, o trio também respondeu a questionamentos dos participantes, com destaque à perspectiva de expansão das tecnologias baseadas em dados ou imagens geradas por sensores remotos, com satélites e drones, levando em consideração o mapa NDVI.

Inovação garantida

O evento foi encerrado com uma garantia do sócio fundador do Grupo Agros, Gilnei Molossi: “Somos uma empresa de inovação. Por isso, tenham certeza de que honraremos nosso compromisso de entregar a parceiros e clientes as melhores soluções disponíveis no mercado”.

E-social para Produtor Rural: entenda o evento S-1250 AQUISIÇÃO DE PRODUÇÃO RURAL

A obrigatoriedade do e-Social começou a valer para os integrantes do setor rural, isso porque, as empresas precisaram iniciar a transmissão de informações tributárias para a Receita Federal.

Com isso, é bastante comum que muitas dúvidas apareçam durante a implantação do recurso, pensando nisso, esse post vem para esclarecer algumas dúvidas sobre a ferramenta.

O e-Social é uma ferramenta criada pelo Governo Brasileiro com a finalidade de unificar e padronizar as informações fiscais, previdenciárias e trabalhistas que serão enviadas pelo empregador. Portanto, não se trata da criação de novas obrigações, apenas a unificação das exigências em um único local.

O Governo Federal inseriu os produtores rurais na obrigatoriedade do envio de dados relacionados à sua rotina de trabalho e o seu negócio por meio dessa ferramenta. A exigência do sistema recai sobre os produtores rurais pessoas físicas, produtores rurais pessoas jurídicas, agroindústrias, empresas prestadores de serviços rurais e adquirentes de produção rural.

O software Agrogestão, ferramenta ofertada pela Agro1, detêm da funcionalidade para a emissão do e-Social evento S-1250 que rege a aquisição de produções rurais. Acompanhe e tire suas dúvidas sobre a emissão deste documento.

Conceito e-Social Evento S-1250:

De acordo com o Manual de Orientações do eSocial: “são as informações relativas à aquisição de produção rural de origem animal ou vegetal decorrente de responsabilidade tributária por substituição a que se submete, em decorrência da lei, a pessoa física (o intermediário), a empresa adquirente, consumidora ou consignatária, ou a cooperativa.”

Quem está obrigado:

  1. Pessoas Jurídicas em geral, quando efetuar aquisição de produtos rurais de pessoa física ou de segurado especial, independentemente de as operações terem sido realizadas diretamente com o produtor ou com intermediário pessoa física;
  2. Pessoa Física (intermediário) que adquire produção de produtor rural pessoa física ou de segurado especial para venda no varejo a consumidor final pessoa física, outro produtor rural pessoa física ou segurado especial;
  3. Entidade inscrita no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), quando a mesma efetuar a aquisição de produtos rurais no âmbito do PAA, de produtor rural pessoa física ou pessoa jurídica;
  4. A cooperativa adquirente de produto rural;
  5. A Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), quando adquirir produtos do produtor rural pessoa física ou do produtor rural pessoa jurídica, destinados ao Programa de Aquisição de Alimentos, instituído pelo art. 19 da Lei nº 10.696/2003.

Prazo de envio:

Estes eventos devem ser enviados até o dia 07 do mês seguinte ou antes do envio do evento S – 1299 – Fechamento dos Eventos Periódicos, o que ocorrer primeiro. Antecipa-se o envio destes eventos para o dia útil imediatamente anterior quando não houver expediente bancário.

Esse material foi útil para você? Nos acompanhe nas redes sociais Agro1!

Fonte: Talita Conte – Suporte Agro1

LCDPR | Webinar do Grupo Agros discute importância do planejamento tributário para 2021

A 1ª edição de 2021 da série de Webinars do Grupo Agros, realizada nesta quinta-feira, 28, discutiu a importância da revisão de eventuais inconsistências realizadas no último exercício e os necessários ajustes para construir, de modo planejado, um ano sem complicações tributárias e com bons resultados.

Neste processo, o Livro Caixa Digital do Produtor Rural (LCDPR) ganha relevância e, na condição de obrigação acessória, deve fazer o produtor dedicar um tempo para avaliar/ajustar os procedimentos da atividade.

Conforme a consultora do Grupo Agros, Márcia Barbieri, é determinante dar atenção especial a adequada forma de exploração, entendimento do negócio pela equipe administrativa, correta tradução no movimento financeiro e o alinhamento dos processos de registro.

“Se o fechamento do ano fiscal 2020 não aconteceu como esperado, o início de 2021 é vital para alinhar e organizar essas informações”, resumiu Márcia durante a atividade, que também contou com a presença do sócio-proprietário da Audicope Paracatu, de Minas Gerais, João Batista; e da sócia-proprietária na Unitec Assessoria Contábil Ltda Jataí, de Goiás, Renata Oliveira.

Mais de 150 produtores, contadores e profissionais ligados ao agronegócio participaram das discussões, tirando dúvidas e compartilhando experiências.

Dicas dos especialistas

# O processo das informações tributárias deve ser construído ao longo do ano para permitir as condições necessárias e adequadas de cumprimento das obrigações fiscais.

# O ambiente tributário é complexo e demanda que o produtor rural se organize, revisando as informações que serão entregues ao Fisco. Igualmente, deve se identificar antecipadamente situações que possam estar inconsistentes, permitindo os ajustes necessários.

Saiba mais

# Caso dúvidas e dificuldades persistam, o Grupo Agros conta com equipe especializada na área, que analisa desde a conformidade dos registros da propriedade até a forma de exploração da atividade no núcleo familiar, construindo um planejamento tributário adequado ao modelo de negócio.

# Quem perdeu o 1º Webinar do ano do Grupo Agros pode solicitar acesso ao material pelo e-mail mkt@agro1.inf.br.

3 principais motivos que levam as fazendas a entrar em stress financeiro

EXPANSÃO

Desequilíbrio entre crescimento e liquidez.

Alguns gestores acabam não planejando suficientemente a demanda de capital de giro para suportar o crescimento desejado.

Isso acaba gerando pressão sobre o caixa da empresa e muitas vezes aumentando o endividamento, que por consequência aumenta as despesas com juros, e reduz os lucros.

Esse ciclo vicioso que se forma pela falta de liquidez pode ser evitado quando se privilegia o processo de decisão racional, planejado e com uso das ferramentas certas.

Portanto, faça um detalhamento de todos os gastos que serão incrementados com o novo empreendimento, revise sua situação de liquidez, trave as pontas na compra dos insumos e simule ao menos 3 cenários distintos para qualificar a decisão!

DRENAGEM PARA OUTROS NEGÓCIOS

Aplicação de recursos da lavoura em outros negócios, sem a definição clara do tempo e das condições de retorno do mesmo.

Este é o caso onde a família ou os sócios possuem um outro negócio alheio à agricultura, na maioria das vezes é uma Revenda de Insumos, uma Cerealista, Sementeira ou um comércio na cidade.

O que os gestores fazem sem se dar conta é misturar o caixa dos negócios e inserir variáveis de risco na agricultura, suportando a demanda de capital de giro do outro negócio com a liquidez da agricultura.

O alerta aqui vai no mesmo sentido do item 1, é preciso tomar cuidado para não afetar a liquidez de modo a se entrar no ciclo vicioso do endividamento.

RETIRADAS PARA A FAMÍLIA

Esse é o grande esforço a ser feito pelos gestores para equilibrar as expectativas da família com as demandas de crescimento e investimento do negócio. A situação aqui é simples, a família tende a crescer mais rápido que os negócios, portanto tenha claramente estabelecido o que a empresa pode e o que ela não pode oferecer à família e siga à risca. Uma empresa que deseja crescer deve reinvestir acima de 70% do seu lucro no próprio negócio.

AGROS e AGRO1 movimentam a semana com Webinares sobre Gestão no Agro

Na última segunda-feira, dia 20 de Abril, o Grupo Agros realizou um Webinar com a Consultor Márcia Barbieri, sobre “Os desafios da Gestão da Porteira para dentro”, e contou com a participação de mais de 60 pessoas, entre eles clientes e potenciais clientes do Grupo. Uma oportunidade de ampliar os conhecimentos na área de gestão, e desmistificar os desafios de uma gestão eficaz levando em consideração todos os fatores internos e externos que influenciam dentro de uma empresa e demonstrar na prática o que o serviço de Consultoria e Assessoria do Grupo Agros é capaz de oferecer às empresas do agro.

Esta palestra, que nesta oportunidade foi apresentada em forma de Webinar, já foi apresentada em diversas outras oportunidades, e sempre teve boa aceitação em todas elas, justamente por se tratar de um tema extremamente discutido dentro do agro, e pela abordagem que a Consultora Márcia utiliza em todas as suas apresentações, sempre atualizada e levando em consideração todos os fatores do cenário atual com que as apresentações são realizadas.

Também, no dia 22 de Abril, foi a vez da AGRO1 realizar o Webinar. Nesta oportunidade, Daniel Sygel (Coordenador Comercial) e Renato Sgarbi (Consultor de Implantação), apresentaram a Plataforma AQILA
Comentaram sobre a Plataforma, sobre seu uso dentro da lavoura e a importância que o AQILA tem nas empresas que foi implantado.

Os benefícios que o AQILA trouxe, com relação à gestão, economia de tempo e retrabalho, e refletindo diversas vezes, financeiramente. Apresentaram também, as principais funcionalidades do AQILA.

O Webinar, contou com mais de 50 clientes e potenciais clientes das principais regiões produtoras de grãos do Brasil.